Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

#Ensaio – Hyundai i30 Fastback N – A melhor surpresa do ano?

As versões N Performance da Hyundai despertaram algo de muito interessante na gama i30. E agora, até contam com um formato mais familiar, juntando o útil ao agradável.

O Hyundai i30 Fastback N é bem capaz de ter sido uma das melhores surpresas deste ano. Por (mau) hábito, estamos mais formatados para associar um Hyundai a um carro mais prático para o dia-a-dia, com um habitáculo espaçoso e amplo e com soluções que ganham mais destaque na altura de promover uma funcionalidade superior. Ou seja, tudo aquilo que na maioria das vezes fica precisamente no espectro oposto de um automóvel desportivo. E com a versão Fastback, a Hyundai deu a ideia de que queria seguir uma imagem mais elegante e distinta. Mas não, afinal, acabou por misturar estas duas ideias num único modelo e o resultado é mesmo muito interessante.

A carroçaria das versões está decorada com alguns apêndices aerodinâmicos de tamanho mais generoso e com diversos detalhes em vermelho e com os logos da N visíveis um pouco por toda a parte. O para-choques dianteiro conta com entradas de ar laterais para ajudar a refrigerar os travões e o traseiro com um extrator de ar, com uma saída de escape dupla e com uma luz de nevoeiro central inspirada na fórmula 1. No topo da tampa da bagageira, está também um defletor de ar maior do que o das versões Fastback convencionais, resultando num visual global bem mais desportivo, mas sem se tornar muito exuberante. Mesmo quando complementado pelas jantes de liga leve de 19 polegadas de diâmetro e pelas pinças de travão vermelhas com a assinatura da N.

No habitáculo acontece precisamente o mesmo. Sem uma nota de exuberância a pender para o exagerado, podemos contar com uns assentos dianteiros mais desportivos e com um apoio lateral melhorado, com um volante também ele mais desportivo que inclui os comandos específicos desta versão N, com diversas aplicações em vermelho nos componentes que já conhecemos do Hyundai i30 e com um mundo de costuras em vermelho.

Os assentos desportivos oferecem uma boa posição de condução e em termos de espaço, quem viaja nos lugares traseiros fica com uma melhor posição para as pernas, mas com um pouco menos de espaço no que diz respeito à distância da cabeça até ao tejadilho, devido à linha mais descendente da carroçaria desta versão Fastback. Em compensação, a bagageira conta com uma capacidade acrescida, mas que continua a ser prejudicada pela presença da barra destinada a aumentar a rigidez da carroçaria. Ainda assim, se é um cliente da gama N, a parte da eficácia dinâmica será bem mais importante do que o espaço na bagageira. Caso contrário, a gama i30 também tem uma carrinha bastante bonita e com muito espaço disponível, tal como esta que já lhe mostrámos por aqui.

Mas agora vem a parte mais interessante. O som do motor 2.0 de 275 cavalos é cativante desde o primeiro momento e não há nenhuma limitação eletrónica devido ao ruído, nem nenhuma que impeça os escapes de soltar disparos sempre que quisermos, desde que esteja ativo o modo de condução mais desportivo. No entanto, se quisermos passar despercebidos, o modo normal que está ativo por defeito poderá ser mesmo a melhor solução, ainda que não seja a nossa preferida. Nos dias em que andámos com este i30N, o procedimento de arranque passava sempre por ligar o motor e o modo N logo de seguida, com a ajuda do botão específico existente no volante.

O modo de condução N, o mais desportivo, faz com que a resposta do motor ao pedal do acelerador seja bem mais imediata, que a suspensão fique um pouco mais firme e que o i30 N Fastback se transforme numa máquina de pista rapidamente, assim que entramos num qualquer troço de traçado mais sinuoso. E aqui, o sistema de otimização de regime parece ser das coisas que melhor nos soam aos ouvidos, sempre que fazemos uma redução de velocidade e o diferencial dianteiro de comando eletrónico dá uma excelente ajuda à direção, na hora de encaminhar o i30 para a trajetória perfeita de cada curva ao mesmo tempo que damos por nós a tentar provocar o eixo traseiro, que continua colado ao asfalto, a relembrar as horas de desenvolvimento que as versões N têm no traçado do Nordschleife. Além de todas estas coisas, o i30 N ainda conta com diversos menus acessíveis através do monitor central instalado no tablier, que lhe permitem ajustar a direção, a suspensão, o controlo de estabilidade, o diferencial e até o som dos escapes como bem lhe apetecer.

Apesar de tudo isto, deixámos o melhor para o fim. É que este i30 Fastback que vê nas imagens pode ser seu por menos de 46 mil euros e já conta com um equipamento de série bastante recheado. Se escolher uma pintura metalizada, o custo de 430 euros faz com que fique acima deste valor, mas se optar pelo Polar White da unidade ensaiada ou pelo Shadow Grey das imagens oficiais de apresentação deste modelo ou mesmo pelo Performance Blue que a marca mostrou na primeira versão do i30 N, o preço de tabela deste i30 N Fastback é de 46.158 euros. E numa rápida vista de olhos por alguns dos desportivos do mercado nacional, são poucos os que consegue adquirir por um valor semelhante e que lhe conseguem trazer tanta emoção quando se encontra ao volante. E este sim, é um dos grandes trunfos desta opção mais desportiva da gama i30.

VEREDICTO
O formato Fastback da gama i30 parece ainda mais adequado à versão mais desportiva N, uma vez que alia uma dinâmica exemplar a um formato mais familiar e aceitável por todos os membros do agregado familiar. E além disso, o preço não deixa de ser um dos seus trunfos mais apetecíveis.

FICHA TÉCNICA
Hyundai i30 Fastback N 2.0 TGDi Performance Pack

MOTOR: 4 cilindros em linha; injeção direta com turbo; Cilindrada (cm3): 1.998; Potência máxima (cv/rpm): 275/6.000; Binário máximo (Nm/rpm): 378/1.450-4.700; TRANSMISSÃO: Tração dianteira; Caixa manual de seis velocidades; Suspensão (fr./tr.): Independente, tipo McPherson; Independente, multibraços; DIMENSÕES: Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.455/1.795/1.419; Distância entre eixos (mm): 2.650; Largura de vias (fr./tr.) (mm): n.d./n.d.; Travões (fr./tr.) Discos ventilados/Discos; Peso (kg): 1.516; Capacidade da bagageira (l): 436; Depósito de combustível (l): 50; Pneus (fr./tr.): 235/35 R19; PRESTAÇÕES: Aceleração de 0-100 km/h (s) 6,1; velocidade máxima (km/h) 250; CONSUMOS: urbano/extraurbano/combinado (l/100 km): 12,1/7,0/8,2; Emissões de CO2 (g/km) 188;

PREÇO (versão base): 45.728 euros
PREÇO (unidade ensaiada): 45.728 euros

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Estas profissões vão desaparecer já a partir deste ano. Saiba se a sua é uma delas
Marketeer
CTT querem ser líderes ibéricos em Expresso & Encomendas