Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Fiat 500 e Panda agora com versões mild hybrid

Os Fiat 500 e Panda serão os dois primeiros modelos do Grupo FCA a disponibilizar, em fevereiro e março, respectivamente, a tecnologia mild hybrid no segmento em que se inserem.

Os dois citadinos dão também início à eletrificação da gama da Fiat, que prosseguirá, ainda este ano, com o arranque da produção da versão totalmente eléctrica do 500 em Turim.

 

A Fiat decidiu criar uma série especial Launch Edition para ambos que se identifica pelo emblema Hybrid colocado na traseira, pelo logótipo específico em forma de “H”, composto por duas gotas de água, instalado no pilar central, e pela nova e exclusiva cor verde da carroçaria.

No interior, o principal destaque vai para os bancos, os primeiros da indústria automóvel a contarem com um revestimento parcialmente fabricado com um material especial criado pela Seaqual, derivado de plástico reciclado, 10% do qual recolhido no mar, que se combina com outras fibras ecológicas, naturais ou recicladas.

Os novos 500 e Pand Mild Hybrid contam com um motor 1.0 a gasolina de três cilindros e 70 CV e 92 Nm da família Firefly, combinado com um motor de arranque/alternador integrado BSG de 12 Volt, uma bateria de iões de lítio e uma nova caixa manual de seis velocidades de baixa fricção e bastante compacta (o que permite colocar a unidade motriz numa posição mais baixa, por forma a reduzir o centro de gravidade).

Por comparação com a motorização 1.2 Fire de 69 CV, a nova unidade promete reduzir consumos e emissões de CO2 em nada menos do que 30%.

Neste motor destacam-se, ainda, soluções como a cabeça de duas válvulas por cilindro e uma única árvore de cames, mas com variador de fase contínuo; pela elevada taxa de compressão (12,1:1); pelo sistema EGR de recirculação dos gases de escape; e pelo bloco desenvolvido em conjunto com a Teksid, construído em alumínio fundido a alta pressão, e dotado de camisas dos cilindros em ferro fundido, que muito contribui para um peso total do motor de somente 77 kg.

Quanto ao sistema BSG, accionado por correia, destina-se a recuperar energia durante a travagem e desaceleração, a qual é armazenada na bateria de lítio para ser, depois, utilizada tanto no arranque do motor quando activado o sistema start/stop, como na assistência às acelerações na sua fase inicial.

Ler Mais

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...