Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

O futuro não são só carros: Toyota promete cidades inteligentes

A Woven City (cidade tecida) será um ecossistema totalmente conectado, com energia fornecida por pilha de combustível a hidrogénio.

A Toyota aproveitou a sua presença no CES, em Las Vegas, para dar a conhecer os seus planos de construção de uma cidade gigantesca com 70 hectares junto ao Monte Fuji no Japão, assente nas ideias de sustentabilidade e integração tecnológica.

Apelidada Woven City, a cidade será um “laboratório vivo” habitada por residentes e engenheiros que poderão testar  em tempo real novas tecnologias – veículos autónomos, robótica, mobilidade pessoal, casas ‘inteligentes’ e inteligência artificial em grande escala – num ecossistema totalmente conectado naquela que a Toyota chama de sociedade do hidrogénio.

“Construir uma cidade completa a partir do nada, mesmo numa escala pequena como esta, é uma oportunidade única para desenvolver tecnologias para o futuro, incluindo um sistema digital operativo para as infraestruturas da cidade”, referiu o Presidente e CEO da Toyota, Akio Toyoda.

Para o projeto Woven City, a Toyota contratou o arquiteto dinamarquês Bjarke Ingels, diretor executivo do Bjarke Ingels Group (BIG). A sua equipa, na BIG, criou muitos projetos de alto nível: Desde o World Trade Center 2 em Nova York a sede da Lego (Lego House) na Dinamarca, até à nova sede do Google Mountain view e em Londres.

Cidade multifacetada

O próprio conceito da cidade será diferenciado entre os seus princípios orientadores. No caso dos veículos, por exemplo, o plano traçado para a cidade antecipa um design de ruas de três tipos: um de ruas exclusivamente para veículos mais velozes, outra para um misto de velocidades baixas, mobilidade individual e peões e, a última, para passeios ao estilo de parque apenas para peões.

Por outro lado, a cidade será totalmente sustentável, com edifícios concebidos maioritariamente em madeira para minimizar a pegada de carbono, recorrendo a materiais de origem japonesa combinada com a produção robótica. Já os terraços dos edifícios estarão cobertos com painéis fotovoltaicos para gerar energia solar em adição à energia gerada pela pilha de combustível a hidrogénio.

Já as habitações terão o derradeiro equipamento em tecnologia de assistência, assumindo uma forte componente robótica para ajudar no quotidiano. As casas terão sensores com inteligência artificial para avaliar a saúde dos habitantes e melhorar a sua segurança física e emocional.

Para se movimentarem pela cidade, apenas serão utilizados veículos autónomos de zero emissões, com modelos de transportes Toyota e-Palettes pensados para entregas de bens e mercadorias dentro da cidade. O plano da marca passa por popular a Woven City com empregados da Toyota Motor Coporation e as suas famílias, casais reformados, lojistas, cientistas e parceiros da indústria, num total de 2000 pessoas para o ‘arranque’, mas com outros a juntarem-se à comunidade posteriormente.

As obras para a construção desta cidade estão previstas para o início de 2021, não havendo ainda uma data de conclusão prevista.

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Estas profissões vão desaparecer já a partir deste ano. Saiba se a sua é uma delas
Marketeer
Sushi At Home troca embalagens de plástico por cartão