Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Razões para escolher um Mii eletric? SEAT aponta seis

Além da sustentabilidade e da proteção do meio ambiente, a economia de tempo e dinheiro são as principais vantagens para quem escolher um modelo elétrico.

Nem CO2 nem partículas poluentes na atmosfera. A sustentabilidade pode ser o principal motivo para conduzir um automóvel 100% elétrico, mas não é o único. Além dos benefícios para o planeta, também existem outros para o condutor.

“Conduzir um elétrico nas grandes cidades significa uma grande economia de tempo e dinheiro”, declara Carlos de Luis, responsável pela mobilidade elétrica nas Relações Institucionais do Grupo Volkswagen. Verificamos isso em Madrid, a bordo do SEAT Mii eletric.

1. Adeus, trânsito condicionado. Ser capaz de evitar os condicionamentos de trânsito usuais é um dos incentivos com que mais e mais cidades recompensam condutores de automóveis elétricos. Em muitas cidades europeias, eles têm permissão para conduzir na faixa de autocarro. Um caso realmente notável é o de Madrid, onde é possível percorrer uma faixa especialmente reservada para veículos cheios de passageiros ou híbridos e elétricos, mesmo que circulem com apenas um ocupante.

“Morando nos subúrbios, graças a essa medida, uma pessoa economiza cerca de 30 minutos por dia nos trajetos de ida e volta para o trabalho. Para muitos utilizadores, é a razão fundamental pela qual optaram pela eletricidade”, explica Carlos de Luis.

2. Estacionar facilmente. O outro grande desafio diário dos condutores na maioria das cidades é encontrar parque de estacionamento. Portanto, há cada vez mais lugares que oferecem facilidades aos motoristas de veículos elétricos, como zonas reservadas ou com desconto, como também é o caso de Madrid.

“Posso estacionar numa zona azul e verde sem pagar um cêntimo e sem limite de tempo. Nem é preciso passar pelo parquímetro para obter o ticket”, refere Carlos de Luis.

3. Acesso ao centro das cidades. Quase 300 cidades europeias têm zonas de baixa emissão. E está a aumentar. A lei espanhola sobre mudança climática, por exemplo, pede que todos os municípios com mais de 50 mil habitantes criem zonas de baixa emissão, para além de restringir o tráfego de viaturas com altas emissões de CO2 antes de 2023.

Para Carlos de Luis, é evidente: “O veículo elétrico é a solução para restrições de trânsito nas cidades. Normalmente, tenho muitas reuniões no centro de Madrid e com o SEAT Mii electric é possível ir de porta a porta”.

4. Recarregue o seu veículo e pé no acelerador. Na Europa, já existem mais de 150 mil pontos de carga pública. “É apenas o começo – explica Carlos de Luis – os municípios já estão cientes de que devem facilitar a criação de infraestruturas de carga pública, para além de incentivar a instalação de pontos de carga em residências e empresas”.

Além disso, hotéis, restaurantes e centros comerciais oferecem postos de carga como cortesia aos clientes. “Então, por exemplo, enquanto eu faço as minhas compras, posso recarregar gratuitamente o que gastei para ir até lá”, acrescenta. Com a aplicação SEAT, é possível saber a distância e o nível de bateria através do telemóvel.

5. Vá mais longe, por menos. Afinal, os veículos elétricos têm cada vez mais autonomia. O Mii electric pode alcançar os 350 quilómetros em cidade. “Com a distância percorrida na minha rotina habitual, eu podia deslocar-me vários dias sem recarregar, mas como eu carrego todas as noites na garagem, o nível da bateria nunca me preocupa”, explica Carlos de Luis.

Por outro lado, o gasto com consumo é significativamente menor numa viatura elétrica. E acrescenta-se que não precisa de tanta manutenção. “A priori, a compra de um elétrico é mais cara, mas se calcularmos todas as despesas durante a vida útil do veículo, vale a pena”, afirma.

6. Ajuda para comprar, menos impostos. O objetivo da SEAT é democratizar a mobilidade elétrica com veículos a preços acessíveis, como o Mii electric. No entanto, a viatura elétrica, de uma forma geral, ainda é mais cara do que os veículos a combustão, razão pela qual a ajuda direta à compra de 3.000 a 5.000 euros, dependendo do país, é fundamental.

Por outro lado, há benefícios tributários diferentes. Por exemplo, em Espanha, existe uma redução de 75% no imposto de circulação em muitos municípios; em Portugal, os proprietários de elétricos estão totalmente isentos desse imposto e da taxa de registo. Na Grã-Bretanha, os donos de viaturas elétricas não pagam a taxa de congestionamento.

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...