Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Novo Renault Captur chega a Portugal este sábado a partir de 19.990€

A segunda geração do Renault Captur está a escassos dias de chegar à Rede de Concessionários por um preço a partir de 19.990 euros.

Desde 2013, ano em que chegou ao mercado, o Renault Captur é o crossover do segmento B preferido dos portugueses – desde 2016 é um dos cinco modelos mais vendidos no país. No total, já foram vendidas cerca de 35 mil unidades, o que dá 14 unidades vendidas diariamente.

Em relação à geração anterior, o novo Captur é onze centímetros mais comprido (e com mais dois centímetros de distância entre eixos), e a linha de cintura da carroçaria é mais elevada. Destaque também para os novos faróis 100% LED (disponíveis de série em todas as versões), em forma de “C”, na dianteira, assim como os originais novos faróis traseiros, igualmente em forma de “C”; a nova grelha; os novos para-choques; as novas proteções; os vários elementos cromados e, claro, a pintura bi-tom da carroçaria.

Estão disponíveis quatro cores para o tejadilho, isto no caso da opção não recair na cor da carroçaria: Preto Estrela, Laranja Atacama, Cinzento Highland e Branco Alabastro. Além disso, o novo Captur também pode ser equipado com barras de tejadilho longitudinais, ou teto de abrir semi-panorâmico vidrado.

No interior, o destaque vai para os revestimentos macios presentes em várias zonas (como no painel de bordo, na consola central e nos painéis das portas), o ecrã multimédia de 9,3 polegadas com acabamento brilhante anti-reflexo e posicionado na consola central, e compatibilidade com Android Auto e Car Play.

Sem esquecer opainel de instrumentos digital em todas as versões, graças ao ecrã TFT que, na versão de 10 polegadas, inclui o sistema de navegação. Ou seja, para consultar as indicações do GPS, não é obrigatório desviar o olhar para o ecrã central.

A ergonomia é outro dos aspetos em que o novo Captur evoluiu, não faltando exemplos: novo volante com mais funcionalidades, nova manete da caixa de velocidades (mais curta e colocada em posição superior), novas teclas tipo “piano”, novos comandos da climatização colocados imediatamente abaixo do ecrã central, assim como a democratização dos comandos táteis ou a redistribuição das áreas para arrumação e transporte de objetos.

Os passageiros traseiros beneficiam de uns significativos mais 17 mm de espaço para os joelhos, em relação ao modelo antecessor, com o banco traseiro a manter-se deslizante. Já a mala conta com 536 litros e isto apesar de, na mala (mas perfeitamente integradas), poderem ser montadas as colunas do sistema de som BOSE.

A exemplo do novo Clio, o novo Captur também passa a estar disponível com a tecnologia Renault MULTI-SENSE. Basicamente, a possibilidade de personalizar a experiência de condução, em parâmetros como a cartografia do motor, a direção, a iluminação ambiente e a configuração do ecrã digital.

Nesse sentido, estão disponíveis três diferentes modos: Eco, para reduzir o consumo e as emissões de CO2; Sport, para aumentar o prazer de condução, a agilidade e a reatividade e MySense (modo predefinido), para personalizar a experiência.

O novo modelo da Renaut democratiza os sistemas de ajuda à condução, com a oferta mais completa e mais evoluída da categoria. A novidade mais marcante é o sistema de assistência à condução em trânsito e autoestrada, uma extraordinária mais-valia para o conforto e serenidade de condução nas filas compactas de trânsito e em autoestrada. A integração deste sistema constitui uma primeira fase para o veículo autónomo.

A par de equipamentos, como a câmara 360° e o sistema de travagem de emergência ativa com deteção de peões e ciclistas, o alerta de saída de estacionamento reforça a segurança durante as manobras de saída de um lugar de estacionamento. A regulação destes sistemas de ajuda à condução é feita de forma clara e intuitiva, através do ecrã tátil do sistema multimédia Renault EASY LINK.

Sublinhe-se que, os mais avançados sistemas de segurança ativa, aliados a todo o “know how” da Renault no domínio da segurança passiva, permitiram ao novo Captur obter as 5 estrelas nos cada vez mais exigentes testes de segurança do organismo independente Euro Ncap.

Motorizações

O novo Captur está disponível com uma gama completa de motores a gasolina e Diesel, com um intervalo de potências entre os 95 e os 155 cavalos. Motores equipados com tecnologias de ponta, que permitem cumprir as mais recentes normas em vigor e reivindicar valores de consumo e de emissões referência no mercado.

Mas para o verão está marcada uma importante novidade: a estreia na gama Renault do motor E-TECH Plug-in. Uma motorização híbrida recarregável, que constituirá uma oferta única no mercado e que terá o condão de conceder ao Novo Captur o estatuto de pioneiro na democratização desta tecnologia.

Inédito na gama Renault, o 1.0 TCe (3 cilindros, turbocomprimido) é o mais novo dos motores resultantes das sinergias da Aliança e está equipado com as mais avançadas tecnologias. Com 999 cc de cilindrada, 100 CV e 160 Nm de binário às 2.750 rpm, este bloco da nova geração tem mais 10 CV e 20 Nm relativamente ao TCe 90 que substitui, com menores consumos e emissões de CO2.

No novo Captur , o motor TCe 100 está associado a uma caixa manual de 5 velocidades, permitindo reivindicar um consumo entre os 6 e os 6,2 l/100 km em ciclo misto e atingir os 187 km/h de velocidade máxima.

O motor TCe 100 estará igualmente disponível numa versão bi-fuel a GPL com montagem em fábrica. Uma proposta que certamente dará que pensar pelos reduzidos custos de utilização que proporciona.

Desenvolvido em parceria com a Daimler, o motor 1.3 TCe FAP é precisamente o mesmo da geração anterior e que tantos elogios tem granjeado também em modelos como o Mégane, Scénic e Kadjar. Com 130 CV e 240 Nm de binário, pode ser associado a uma caixa manual de 6 velocidades ou à rápida e eficaz caixa automática EDC de 7 velocidades, de dupla embraiagem, com comandos por patilhas no volante.

Um bloco que permite uma condução dinâmica, como confirmam os números: mais de 190 km/h de velocidade máxima e 9,6 segundos para cumprir dos 0 aos 100 km/h, isto com caixa EDC (mais um segundo com caixa manual). Em relação a consumos, os valores oscilam entre os 6,2 e os 6,5 l/100 km em ciclo misto.

O mesmo motor 1.3 TCe FAP, mas na versão de 155 CV e 270 Nm, é a solução para quem privilegia o máximo prazer de condução e que não abdica de explorar as qualidades dinâmicas de um automóvel. Um bloco que surge associado à rápida e eficaz caixa automática EDC de 7 velocidades, de dupla embraiagem. Os comandos por patilhas no volante confirmam o caráter mais desportivo desta versão, que pode atingir os 202 km/h de velocidade máxima e que só precisa de escassos 8,6 segundos para cumprir dos 0 aos 100 km/h.

Quanto a consumos, graças ao trabalho de calibração específico desenvolvido no motor, o novo Captur TCe 1550 FAP reivindica consumos entre os 6,2 e os 6,5 l/100 km.

Para quem percorre muitos quilómetros ou para as frotas de empresa, o novo Captur equipado com o motor a Diesel 1.5 Blue dCi pode ser a solução. Um bloco que está disponível em duas versões: 95 CV e 240 Nm, às 1.750 rpm, para uma condução sóbria; e 115 cavalos, 260 Nm, às 2.000 rpm, para uma condução mais dinâmica.

Um bloco que pode ser associado à caixa manual de 6 velocidades ou à rápida caixa automática EDC de dupla embraiagem de 7 velocidades e que, para além do conforto de condução que proporciona, impressiona pelos consumos: entre os 4,7 e os 4,9 l/100 km na versão de 95 CV e entre os 4,8 e 5 l/100 km na versão de 115 CV. Com este motor, a velocidade máxima ronda os 190 km/h.

O novo Renault Captur será comercializado, em Portugal, no dia 18 de janeiro de 2020, a partir de 19.990€, estando disponível uma série limitada de apenas 50 unidades, todas numeradas, e designada Captur Edition One. Tendo por base a versão de referência da gama (Exclusive), e o novo motor a gasolina TCe 100, o Renault Captur Edition One tem o preço único de 19.200 euros (sem taxas).

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Estas profissões vão desaparecer já a partir deste ano. Saiba se a sua é uma delas
Marketeer
CTT querem ser líderes ibéricos em Expresso & Encomendas