Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Estratégia: BMW vai gastar mais de 30 mil milhões em tecnologias focadas na mobilidade

O BMW Group está a adotar uma mudança de paradigma na indústria automóvel, investindo significativamente em pesquisa e desenvolvimento, com o objetivo de garantir a mobilidade do futuro, tendo sempre presente as necessidades dos seus clientes.

“As novas tecnologias são essenciais para a mobilidade do futuro. Até 2025, pretendemos investir mais de 30 mil milhões de euros em pesquisa e desenvolvimento para destacar a nossa posição enquanto líderes no segmento da inovação”, afirmou Oliver Zipse, Presidente do Conselho de Administração da BMW AG, esta quarta-feira. “A capacidade de integrar diversas tecnologias, de maneira a formar um sistema completo, é de extrema importância. As empresas capazes de desenvolver e combinar hardware e software, em igual proporção, irão garantir a mobilidade do futuro. Nesse sentido, estamos claramente na vanguarda”.

“Demos passos decisivos em áreas estratégicas de grande relevância e no momento certo e queremos agora reforçar a vantagem competitiva de que dispomos para nos posicionarmos relativamente às tendências do setor”, acrescentou Zipse.

O BMW Group começou, desde cedo, a atingir as novas metas de CO2, no sentido de tornar a sua linha de produtos o mais elétrica possível. Graças ao seu programa Performance >> NEXT, lançado em 2017, foram dados mais passos no sentido de alcançar uma maior eficiência e um desempenho operacional mais forte. Além disso, nos últimos oito anos, cerca de 46.000 funcionários receberam formação do setor da mobilidade elétrica.

Ainda no seguimento da crescente importância do know-how em software, o BMW Group fundou, em 2018, a Critical TeckWorks, uma joint venture tecnológica entre o BMW Group e a portuguesa Critical Software, que tem vindo a desenvolver software para a indústria automóvel e a transformar a mobilidade do futuro.

De maneira a compensar os elevados gastos iniciais com tecnologias avançadas, o BMW Group irá continuar a trabalhar sistematicamente para obter melhorias contínuas de eficiência. “Estabelecemos metas claras para 2020. A prioridade será dada ao fluxo do negócio, daqui para a frente. Todas as medidas e iniciativas implementadas são resultado do nosso esforço e responsabilidade. Especificamente em relação ao fluxo de negócio, estamos a concentrar-nos em despesas de capital e na gestão consciente do mesmo”, afirmou Nicolas Peter, membro do Conselho de Administração da BMW AG, no departamento de Finanças.

A estratégia Performance >> NEXT dará origem a uma economia de eficiência superior a 12 mil milhões de euros até ao final de 2022. Nesse sentido, o tempo de desenvolvimento dos veículos irá ser reduzido em 1/3. Uma das metas do BMW Group é duplicar o seu volume de vendas, no segmento de luxo, até 2020.

Grandes investimentos

Um nível significativo de despesas iniciais foram necessárias durante o período em análise. As despesas de pesquisa e desenvolvimento, no ano de 2019, obtiveram um total de 5.952 milhões de euros, um aumento significativo em relação ao ano anterior. A proporção crescente de veículos elétricos, também está a aumentar as despesas de produção.

Não esquecendo, que os fatores de mudança de câmbio e aumento dos preços de matérias-primas também pressionam os lucros. Desta forma, as despesas de capital com imobilizado e outros ativos aumentaram 12.3% para 5.650 milhões de euros, face ao ano anterior.

BMW Série 7: ponta de lança

A próxima geração do BMW Série 7 irá marcar uma nova era. O veículo principal da marca BMW irá oferecer aos seus clientes o “Power of Choice”, e estará disponível em quatro modelos diferentes: Diesel, gasolina, híbrido Plug-in e, pela primeira vez, numa versão totalmente elétrica, que também irá possuir tecnologia 5G.

Este novo modelo responde à estratégia do BMW Group, que pretende ter, até 2023, 25 modelos elétricos na sua gama, sendo que mais de metade irão ser totalmente elétricos.

Rentabilidade e EBIT no ano de 2019

A rentabilidade e o lucro aumentaram de um trimestre para o outro ao longo do ano de 2019. O lucro do BMW Group, antes dos impostos, definido para o segundo semestre de 2019, cresceu significativamente em relação ao ano anterior (4,3 mil milhões de euros; +18,8%).

As entregas no quarto trimestre de veículos das marcas premium BMW, MINI e Rolls-Royce, alcançaram um total de 665 803 unidades e, portanto, aumentaram ligeiramente em comparação com o ano anterior (2018: 656 8231 unidades; + 1,4%). As receitas do BMW Group aumentaram significativamente para 29 366 milhões de euros (2018: 24 482 milhões de euros, +19,9%), devido aos efeitos positivos de uma maior variedade de veículos do segmento de luxo superior. Este número é o maior valor de receita alguma vez atingido pelo BMW Group, num único trimestre. O lucro antes do resultado financeiro também melhorou significativamente: 2 332 milhões de euros (2018: € 1 765 milhões; + 32,1%), enquanto o lucro antes dos impostos foi de 2.055 milhões de euros (2018: € 1 800 milhões; + 14,2%).

Em 2019, as entregas aumentaram 2,2%, para um novo recorde de 2 538 3671 unidades (2018: 2 483 2921 unidades). As receitas do BMW Group alcançaram um recorde de 100 mil milhões de euros, pela primeira vez, (2018: € 96 855 milhões; + 7,6%).

Além disso, como relatado anteriormente, os efeitos positivos da avaliação registados em 2018 não foram repetidos em 2019 e contribuíram para um declínio significativo no resultado financeiro do BMW Group. O lucro antes dos impostos terminou com 7 118 milhões de euros (2018: 9 627 milhões de euros; -26,1%). O retorno antes de impostos sobre as vendas (margem EBIT) foi de 6,8% (2018: 9,9%). O lucro líquido foi de 5 022 milhões de euros (2018: 7 064 milhões de euros; – 28,9%).

Maiores despesas de capital

As receitas do segmento desportivo, no quarto trimestre de 2019, aumentaram para 26 829 milhões de euros (2018: 23 217 milhões de euros; +15,6%), como resultado dos efeitos mencionados anteriormente. O lucro antes do resultado financeiro também melhorou significativamente para 1 825 milhões de euros (2018: 1 452 milhões de euros; +25,7%). A margem EBIT, melhorou tanto em relação ao ano anterior como ao terceiro trimestre, atingindo 6,8% (2018: 6,3%).

As receitas por segmento no ano de 2019 subiram para 91 682 milhões de euros (2018: 85 846 milhões de euros; +6,8%). Influenciado pela previsão mencionada anteriormente, reconhecida no primeiro trimestre, bem como pelos altos níveis de gastos iniciais em pesquisa e desenvolvimento, o lucro antes do resultado financeiro foi de 4 499 milhões de euros (2018: 6 182 milhões de euros; -27,2%). Apesar de maiores gastos de capital e menor lucro líquido, o segmento conseguiu alcançar um fluxo de 2 567 milhões de euros (2018: 2 713 milhões de euros; -5,4%).

No total, 218 579 321 veículos da marca BMW foram entregues aos seus clientes em 2019 (2018: 21 149 631 unidades; + 3,3%). O crescimento foi particularmente intenso no segmento de luxo superior, com volumes acima de 75% no toral, para mais de 100.0001 unidades, graças aos novos modelos, como o BMW Série 8. As entregas do BMW i3 aumentaram 13%, para quase 40 000 unidades. Com foco no crescimento significativo das vendas, num segmento de mercado extremamente competitivo, as entregas dos veículos MINI, em 2019, conseguiram alcançar um total de 347.4741 unidades (2018: 364 1351 unidades; -4,6%). O MINI Cooper S Countryman híbrido Plug-in foi particularmente procurado, com entregas de unidades de cerca de 28%, alcançando um total de quase 17 000 unidades.

BMW Motorrad  e Financial Services

De acordo com o previsto, a BMW Motorrad registou um crescimento sólido em 2019, com um total de 175 162 unidades entregues aos seus clientes, o que representa um crescimento de 5,8% face ao ano anterior. As receitas do segmento aumentaram para 2.368 milhões de euros, o que representa um crescimento de 9%. O lucro antes do resultado financeiro também aumentou 194 milhões de euros (2018: € 175 milhões; + 10,9%). O lucro antes dos impostos foi de 187 milhões de euros (2018: € 169 milhões; + 10,7%).

Em relação ao BMW Financial Services, no total, foram assinados 2 003 782 novos contratos em 2019 (2018: 1 908 640; + 5,0%). As receitas do segmento alcançaram um total de 29 598 milhões de euros (2018: € 27 705 milhões; + 6,8%). O lucro, antes dos impostos, obteve um total de 2 272 milhões de euros (2018: 2 143 milhões de euros; + 6,0%).

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...