Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Fiat Chrysler passa de lucro a prejuízo de 1.694 milhões de euros

A Fiat Chrysler teve um prejuízo de 1.694 milhões de euros no primeiro trimestre, contra um lucro de 619 milhões de euros no mesmo período de 2019, devido à pandemia da Covid-19, revelou esta terça-feira o fabricante automóvel.

O impacto negativo da pandemia da Covid-19 sobre o construtor automóvel ítalo-americano levou a que tivesse de fechar diversas fábricas na Europa e nos Estados Unidos, refere a Fiat Chrysler em comunicado.

Como resultado desta situação, o grupo empresarial retirou as suas previsões financeiras para 2020, mas garantiu que voltará a apresentar um quadro atualizado “logo que haja uma maior visibilidade do impacto geral provocado pela crise”, lê-se ainda no comunicado.

“A pandemia teve e continua a ter um impacto significativo nas nossas atividades”, disse o presidente executivo do grupo, Mike Manley, realçando que tem “plena confiança” na experiência dos dirigentes da empresa e na dedicação dos trabalhadores, pelo que o grupo vai ser “capaz de superar a crise” e “emergir bem posicionado para crescer e prosperar”.

O fabricante automóvel explicou na apresentação dos resultados relativos ao primeiro trimestre do ano fiscal que teve que interromper a produção em todas as suas fábricas no mundo por várias semanas e que implementou protocolos de segurança para retomar as atividades, sempre que possível, com o objetivo de garantir a saúde dos trabalhadores.

O grupo Fiat Chrysler teve de adiar todas as despesas não essenciais, reduziu os custos com publicidade, bem como a remuneração de praticamente todos os administradores e diretores.

Para aumentar a liquidez, o grupo contraiu em abril uma linha de crédito de 3.500 milhões de euros no mercado de capitais e continua avaliar todas as opções de financiamento para poder ter acesso a elas em tempo oportuno e, se necessário, para fortalecer ainda mais a estrutura patrimonial e aumentar a liquidez para otimizar a flexibilidade financeira.

O lucro do grupo ascendeu a 20.567 milhões de euros no primeiro trimestre do ano fiscal, menos 16% face ao último trimestre de 2019, enquanto o resultado operacional líquido ajustado (EBIT) foi de 52 milhões de euros, ou seja, menos 95%.

As vendas globais cifraram-se em 818.000 unidades, menos 21% devido à paragem temporária da produção em todas as regiões e à queda na procura mundial.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 251 mil mortos e infetou quase 3,6 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um 1,1 milhões de doentes foram considerados curados.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (68.934) e mais casos de infeção confirmados (quase 1,2 milhões). Seguem-se Itália (29.079 mortos, quase 212 mil casos), Reino Unido (28.734 mortos, mais de 190 mil casos), Espanha (25.613 mortos, mais de 219 mil casos) e França (25.201 mortos, mais de 169 mil casos).

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...