Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Bosch ESP: Derrapagens ficaram mais complicadas há 25 anos

Só na União Europeia, o programa de estabilidade eletrónica salvou cerca de 15 mil vidas. Em todo o mundo, 82% dos carros novos de passageiros têm o sistema anti derrapagem.

Uma estrada molhada e uma manobra evasiva repentina: houve um tempo em que tal situação terminava numa valeta ou contra uma barreira de impacto, e não raramente com mortes ou ferimentos graves.

Há quase 25 anos, uma solução foi finalmente encontrada na forma de uma inovação pioneira – o programa de estabilidade eletrónica ESP que a Bosch e a Daimler-Benz lançaram pela primeira vez em veículos da classe S, no ano de 1995. Desde então, o ESP tem mantido os veículos em segurança, também em situações críticas.

Os investigadores de acidentes da Bosch estimam que só na UE, o sistema anti derrapagem tenha salvo cerca de 15.000 vidas nos últimos 25 anos, além de evitar aproximadamente meio milhão de acidentes envolvendo ferimentos pessoais. Juntamente com o cinto de segurança e o airbag, o ESP é um dos salva-vidas mais importantes de um veículo.

“O desenvolvimento do programa de estabilidade eletrónica foi um marco histórico para a nossa “visão zero” de não haver mais mortes na estrada”, afirma Harald Kroeger, membro do conselho de administração da Bosch. “O ESP é um excelente exemplo do que entendemos por ‘Invented for life’”.

A inovação pode ser de 1995, mas não há nada que seja datado: a Bosch aprimorou continuamente o seu sistema anti derrapagem, e até ao momento, produziu mais de 250 milhões de sistemas ESP. Os carros modernos são inconcebíveis sem esse anjo da guarda eletrónico. Em todo o mundo, 82% de todos os veículos novos estão equipados com ESP. Em 2017, esse número situava-se nos 64%.

ESP pode impedir até 80% de acidentes

Especialmente quando as estradas estão molhadas ou com gelo, ao evitar obstáculos inesperados, como animais na estrada, e também ao fazer uma curva muito rápido, o programa de estabilidade eletrónica intervém. Com o ESP a bordo, até 80% de todos os acidentes de derrapagem podem ser evitados. Esta tecnologia combina as funções do sistema de travagem anti bloqueio ABS e o sistema de controlo de tração TCS, mas pode fazer muito mais. O ESP deteta também movimentos de derrapagem do veículo e os neutraliza-los ativamente.

O sistema anti derrapagem usa informações sobre a dinâmica do veículo para detetar se o carro está a ir na direção em que o motorista o está a conduzir. Se houver uma discrepância entre esses dois fatores, o ESP intervém. Isto pode parecer simples, mas é de fato um processo complexo. Sensores inteligentes ajudam a comparar o ângulo de direção e a trajetória do veículo 25 vezes por segundo. Se os dois divergirem, o ESP reduz a rotação do motor e trava as rodas individuais. Dessa forma, o sistema ajuda o motorista a impedir que o veículo se solte ou derrape – cortando, efetivamente, muitos acidentes pela raiz.

Inovação após o teste de alce

A história por trás desta conquista é longa. Tudo começou nos anos 80, com esforços inicialmente independentes da Bosch e Daimler-Benz com o objetivo de obter mais estabilidade do veículo. Desde 1992 até o lançamento no mercado, especialistas das duas empresas trabalharam juntos numa unidade de projeto.

O lendário teste de alce de 1997 ajudou o sistema a chegar a um avanço: durante os testes para uma revista automóvel sueca, uma Mercedes Benz classe A tombou ao fazer uma manobra evasiva abrupta. A Mercedes-Benz respondeu produzindo o equipamento padrão ESP. Desde então, um número cada vez maior veículos de diferentes fabricantes automóveis adotaram o sistema anti derrapagem.

Menos acidentes, menos feridos, menos fatalidades – os legisladores também reconheceram os benefícios do ESP, tornando-o por isso um recurso obrigatório nos veículos em muitas partes do mundo. Na UE, o processo tornou-se mandatário de forma gradual. Desde novembro de 2011, passou a ser inicialmente obrigatório para novos tipos de automóveis ligeiros e veículos comerciais e, a partir de 1 de novembro de 2014, para todos os automóveis ligeiros e veículos comerciais recém-registados.

Além disso, também na Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Equador, Israel, Japão, Malásia, Nova Zelândia, Rússia, Coreia do Sul, Turquia e Estados Unidos, o sistema anti derrapagem é legalmente obrigatório ou auto imposto. A experiência da Europa mostra que se a proporção de veículos com o sistema aumentar, o número de acidentes diminui.

Base para a condução autónoma

“O ESP elevou a segurança rodoviária para um novo nível”, afirma Kroeger. Algo que aconteceu para diversos tipos de veículos. A Bosch oferece sistemas ESP personalizados para todos os tipos de motor de força, desde motores de combustão a motores elétricos, e para veículos de todos os tipos, de microcarros a veículos comerciais.

Mesmo para veículos motorizados de duas rodas, a empresa desenvolveu um tipo de ESP. O controlo de estabilidade do motociclo MSC lançado pela Bosch em 2013, garante a melhor estabilidade possível em todas as situações de pilotagem e é mais uma conquista pioneira para a segurança nas estradas.

Ao mesmo tempo, o ESP é a tecnologia básica para muitos sistemas de assistência ao condutor, bem como para a condução autónoma através da qual a Bosch procura alcançar sua visão zero. “Sejam novas ou experimentadas e testadas, as tecnologias Bosch alertam e dão suporte a condutores em situações críticas, que por sua vez, desempenha cada vez mais tarefas monótonas e fatigantes. Isto é algo que nos dá a oportunidade de reduzir ainda mais o número de acidentes e mortes na estrada”, reforça Harald Kroeger.

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...