Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Mercedes-AMG GT Black Series: O mais rápido em Nürburgring (c/ vídeo)

O Mercedes-AMG GT Black Series tornou-se no carro de produção em série mais rápido de sempre no circuito de Nürburgring.

Com um tempo oficialmente medido e certificado de 6:43,616 m para percorrer os 20.6 km de extensão do circuito (medido sem a reta no setor T13) e de 6:48,047 m para os 20.832 km de extensão total do circuito (medição que inclui a reta do setor T13), o novo V8 situa-se no grupo de elite da categoria de “veículos desportivos” homologados para circulação na via pública e é o líder entre os modelos totalmente de série sem modificações.

Maro Engel explorou todas as possibilidades oferecidas pelo novo Mercedes-AMG GT Black Series de série, como o mais potente motor de produção em série de sempre, o AMG V8, com uma potência de 537 kW (730 CV), a sofisticada aerodinâmica e as extensas opções de regulação da suspensão.

Por exemplo, o repartidor dianteiro construído em fibra de carbono foi estendido para a posição de “Corrida”, enquanto as asas inferior e superior do aerofólio traseiro foram ajustadas cada uma para a posição intermédia. A suspensão AMG regulável com amortecimento adaptativo foi rebaixada em cinco milímetros no eixo dianteiro e três milímetros no eixo traseiro, por forma a reforçar o efeito de venturi no difusor dianteiro. Os ângulos de sopé foram ajustados para os valores máximos possíveis, de -3.8 graus no eixo dianteiro e de -3.0 graus no eixo traseiro.

No caso das barras estabilizadoras ajustáveis, o piloto optou pela configuração mais rígida de entre as três possíveis e ajustou o controlo de tração AMG de nove níveis entre as posições seis e sete, em função do setor do circuito. Os clientes do AMG GT Black Series também têm à sua disposição todas estas regulações e variações.

Isto também se aplica aos pneus MICHELIN Pilot Sport Cup 2 R MO com um “composto macio”, que são parte integrante do equipamento de série e foram desenvolvidos em colaboração com o parceiro de desenvolvimento Michelin, especialmente para os principais veículos de competição da série AMG GT series.

O máximo nível de segurança possível foi assegurado não só pelo sistema de travões compósitos cerâmicos AMG de elevado desempenho e de série, mas também pelo Pack Track com sistema de proteção anti capotamento e cintos de segurança de quatro pontos fornecidos como equipamento de série.

A eficiência aerodinâmica do Mercedes-AMG GT Black Series também exerce uma grande influência no desempenho geral do modelo desportivo. Uma derivação direta do desporto automóvel, por exemplo, é o capot em fibra de carbono com duas grandes saídas de ventilação. Estas orientam especificamente o ar quente do radiador para fora do compartimento do motor, o que permite aumentar a força vertical descendente, como o faz a asa traseira e a secção inferior do chassis amplamente fechada.

Tal como sucedeu com o engenheiro de desenvolvimento Demian Schaffert da AMG, que no mesmo dia estabeleceu um novo registo de volta mais rápida com o Mercedes-AMG GT 63 S 4MATIC+, as condições também não eram propriamente ideais para Maro Engel – quando o piloto de GT3 passou pelo semáforo de controlo do sistema de cronometragem a 4 de novembro de 2020 pelas 17h02 min, não só já tinha percorrido os 20.832 kms de extensão do Green Hell ao anoitecer, como também tinha acabado de alcançar o melhor tempo a uma temperatura do ar ambiente de sete graus Celsius e com o asfalto a uma temperatura de dez graus Celsius. Além disso, alguns setores do exigente circuito ainda não estavam totalmente secos.

Os rápidos tempos de volta foram rigorosamente cronometrados por especialistas independentes da “wige SOLUTIONS”. Um notário independente também certificou a condição do veículo bem como as medições.

Para entender melhor

Por que razão existem duas cronometragens de volta diferentes no circuito de Nürburgring-Nordschleife?

Nürburgring-Nordschleife é considerado o circuito mais difícil do mundo e é utilizado em todos os novos desenvolvimentos de modelos da Mercedes-AMG. A realização de uma volta mais rápida é, portanto, o teste mais exigente às qualidades de um veículo desportivo. Os tempos são determinados em duas alternativas de pista – extensões de 20.6 e de 20.832 kms.

Desde 1997, o circuito de 20.6 quilómetros de extensão tem sido a referência de todos os testes.

A revista especializada de desporto automóvel da Motor Presse Stuttgart realiza testes neste circuito no âmbito do seu “Superteste”, como a própria o designa. Por razões históricas, a curta reta no setor T13, desde a saída do circuito de Nordschleife, passando pelo circuito de Grande Prémio e até à entrada novamente no circuito de Nordschleife, não era incluída na cronometragem. A linha de partida encontra-se no final do setor T13 orientada para norte, enquanto a linha de chegada encontra-se no início do setor T13 orientada a sul. Portanto não é cronometrada uma volta completa após a partida lançada. A extensão total do circuito é exatamente de 20.6 quilómetros.

Em 2019 foi estabelecida a volta oficial do circuito de Nürburgring.

Foi organizada pela empresa concessionária “Nürburgring 1927 GmbH & Co. KG” e o circuito mede agora mais 232 metros, pois as linhas de partida e de chegada encontram-se exatamente no mesmo local, também no setor T13 e, portanto, é realizada e cronometrada uma volta completa aos 20.832 kms de extensão de Nordschleife com uma partida lançada.

Devem estar reunidas várias condições para que ambos os tempos de registo possam ser reconhecidos.

Por exemplo, a cronometragem deve ser realizada com tecnologia de sensor fotoelétrico calibrado, as tentativas de registo oficial e as tentativas de alcançar um novo registo de volta mais rápida são sempre acompanhadas por um notário. Além da monitorização da cronometragem, os veículos e os pneus também são inspecionados e aprovados pelo notário. A classificação dos veículos por classes é baseada nas categorias oficiais da Autoridade Federal Alemã para os Transportes.

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...